Na Sexta-Feira corria que ia chover bastante no fim de semana, especialmente no sábado. Um dos meus colegas, quando lhe manifestei a minha vontade de pedalar, tentou demover-me com a ideia de um suposto alerta nível 76.

Entre Mira e Tocha

 

Estava especialmente agastado com a semana que acabava, e meti na cabeça que ia pedalar bem cedo, independentemente do tempo de Sábado. Mais que isso, a volta seria bem larga de horas.

Quando acordei no Sábado, bem que fiquei surpreendido com a tempo encoberto mas ameno. Lembrei-me que a vir mau tempo, talvez se manifestasse lá para o fim da manhã. Antes que isso acontecesse, enchi a mala de comida e um impermeável, e avisei o meu pai que à Serra da Boa Viagem. Já o tinha pensado há muito, mas nunca tinha concretizado esta volta. Da Palhaça até Mira, seguir pelo estradão estragado que segue por entre a Mata até à Tocha, e daí até Quiaios. Seriam mais ou menos 60km para cada lado, e umas seis horas a pedalar calmamente.

 Bandeira, Serra da Boa Viagem

O vento forte sul que encontrei agradou-me, porque isso significaria que o teria nas costas no regresso, já depois de subir a serra, e de ter cometido todas os erros possíveis.

Pelo caminho, à passagem por Mira, segui conscientemente pelo caminho florestal, extremamente degradado, que me fez sofrer, temer pela bicicleta, e circular a não mais de quinze quilómetros por hora. Sem nenhuma parvoíce feita, passei esse troço de cerca de 5 km, e segui largos minutos por estradão florestal, como o da primeira fotografia. Este momento foi especialmente gratificante. Com pendente nula, brisa marítima a refrescar, silêncio só violado pelo vento e as árvores, e nem uma pessoa. Minto, quatro, que passei por dois carros da autoridade florestal.

Quiaios

Chegado a Quiaios, com uma pausa pelo meio para observar os dois lagos que abordam Quiaios, parei para me encontrar com um colega de Universidade, e degostar uma boa bifana, imediatamente antes de abordar a serra.

Terminada, fui em grande atitude subindo a Serra da Boa Viagem, relativamente acessível, com pendentes moderadas, e de pavimento complicado, só já no encalço do miradouro. Quedei-me por ali poucos minutos.

A tarde já estava se estava a prolongar, e eu tinha de atravessar alguns Concelhos ainda. Uma viagem de cerca de 60 kms, que a correr sem precalços me levaria a casa a tempo do chá das cinco. Com o vento agressivo que estava, meti-me na nacional 109, pouco movimentada e ampla, e que me deixou fazer a viagem de regresso em pouco menos duas horas.

Felizmente não aquiesci aos conselhos dos meus colegas, e fui pedalar. Como havia dito, tornámos-nos sensacionalistas quanto ao tempo. E convenhamos, os modelos de meteorologia, são uma verdadeira trampa.

Anúncios

O ciclista incrível preza a palavra alheia

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s