Pelo Vale do Vouga

Os compromissos conjugais, profissionais, e sobretudo, o ócio em doses maciças têm feito deste ano o mais pobre de sempre nos quilómetros pedalados.

Na ressaca de um matrimónio de um ciclista bem meu conhecido, sábado passado, alinhei com o Daniel um pequeno passeio de feriado. O objectivo era passar duas horitas a pedalar para mexer um pouco as pernas, e fazer correr no corpo os resquícios tóxicos que ingeri dois dias antes. A escolha ficou-se pelos trilhos do Vale do Vouga.

A primaveira particular que atravessamos, carrega por estes dia o Rio Alfusqueiro com um caudal generoso, e o ambiente local de um lustro de gabarito. Tudo por ali está húmido, pesado, escorregadio e brilhante. O terreno está carregado de água, e a pedra um desafio técnico de respeito. Eu não me safei de uma pequena queda, que me proporcionou uma lesão dolorosa no ombro. O mesmo de sempre, o direito.

Não trouxe para nós nenhuma fotografia, nem registei um percurso digno de partilha, mas sugiro-vos a meia-maratona do Vale do Vouga, edição de 2011. O traçado está equilibrado, com subidas e descidas no sítio certo, e todo o percurso está ciclável. Foi o que fizémos ontem, felizmente.

Anúncios

O ciclista incrível preza a palavra alheia

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s