Tribike Socigene 2013 III

Estão a ver aquelas manhãs em que acordamos tão ressacados e com uma azia tão grande, que nos arrastamos até ao frigorífico, bebemos um grande gole de leite directamente do pacote, e só quando as nossas narinas que por sinal estavam violentadas de uma vaga lembrança de uma festa da espuma no bar Tarântula do Regabofe na noite passada, permitem constatar que o mesmo estava coalhado, o que provoca o reflexo de vómito projectado imediato, e a nossa namorada nos oferece um pequeno almoço de bacon com chantili.

Não foi isto que aconteceu no Domingo passado, mas o potencial de situações falhadoras foi brutal, e eu com os meus colegas de equipa passámos uma das melhores manhãs de BTT dos últimos meses.

Tiro de partida da edição de 2013
Tiro de partida da edição de 2013

A minha forma como havia dito é miserável, e a minha capacidade de pedalar em cima de uma bicicleta com duas rodas durante mais de dez minuta é sofrida. O Joel, o meu colega de equipa responsável pela secção de estrada, fez um tempo monstruoso, e sabia que a partir do momento que entregasse o testemunho ao meu colega Pedro, encarregue da descida, seria um instante até eu me ver lançado num verdadeiro festival de duas subidas e duas descidas inclinadas como as minhas costas quando estou em pé. Para polvilhar, uns pózinhos de frio glaciar, e chuva mais insistente que o meu chuveiro.

A minha prestação foi contida, e encarei quase todas as subidas com a máxima moderação. As descidas, foram feitas no limite das minhas capacidades e as da minha bicicleta. O travão da frente acusou todo o lixo que encontrou, e resolveu não devolver toda a sua força habitual. O resultado foi uma brilhante saída de pista.

A última descida, estava no final da prova totalmente destruída, e só permitia duas velocidades. Ou se descia apeado, a decisão mais sensata, ou em cima da bicicleta, e a velocidade atingida era igual para todos, a da gravidade ponderada por duas rodas totalmente desgovernadas. Não eram possíveis quaisquer outros contornos por aquele momento.

Fácil. Um manhã de sonho, em boa companhia.

Nota. Sou totalmente alheado destas questões, e normalmente estas coisas causam-me tanta urticária como a notícia da nova contratação do Covilhã de Cima Sport Clube. Mas espero sinceramente que o arnaldo que estava no abastecimento da prova se engasgue com a comida que era só para os atletas a solo. Isto para ser correcto. Costumo ir preparado para as provas, mas senti mesmo necessidade de comer outra coisa, e uma barra não se nega. Uma questão de bom senso digo eu. Se for como diz o meu colega, deve haver inscrições de primeira e de segunda. Um desabafo de uma situação que na altura ignorei de alto.

Anúncios

O ciclista incrível preza a palavra alheia

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s