Faça o favor de pedir

Não é só nas bicicletas. Sou adepto de tudo o que é feito a partir de ideias nossas, ou desenvolvidas em mesas de café recheadas de cerveja. E da mesma forma que pode ser num café, pode ser em qualquer lado. Toda a coisinha que for produzida pelas nossas ideias, mesmo que apenas uns retoques, gozam de personalidade. Na divisão das bicicletas, até que não é difícil perceber isso.

Nos Estados Unidos da América, o produto agregado obtido de todos os construtores de bicicletas à mão, é maior que o produto de qualquer marca multinacional. Uma pequena visita a um fórum americano da especialidade, e facilmente encontram galerias com centenas de bicicletas fabricadas à mão e personalizadas. Este facto é incrível se colocarmos aquele país em comparação com o nosso. Em Portugal, neste momento, com maior popularidade, apenas existe um construtor que se dedica ao fabrico de bicicletas, e nos trilhos, não vejo muitas provas de que o pessoal se interesse muito por aquilo que pedala, o que é perfeitamente compreensível. O revés da medalha, é o facto de muitas vezes, termos contacto com pessoas que não utilizam a bicicleta com as características mais apropriadas para o que fazem, mesmo sem entrando na questão monetária.

O alcance desta realidade seria enorme. Uma maior cultura ciclistica proporcionaria a troca da simples aquisição massiva de bicicletas importadas, geridas por marcas multinacionais com comportamentos ultra-castradoras, por outras construídas em solo nacional, com soluções perfeitamente adequadas ao utilizador, e ganhos brutais na balança comercial. Mais dinheiro gasto em Portugal, mais ideias, mais emprego, mais alegria. Win win win win.

Nesse sentido, trago uma pequena história, de um pequeno fabricante de componentes e quadros de bicicleta. A BCB, Black Cat Bone Bikes, é uma pequena empresa sedeada em Robinsonville, uma pequena cidade perto do rio Mississippi, que produz basicamente, tudo o que lhes apetece. Nos últimos tempos tem ganho algum destaque com a criação de uma forqueta rígida com o exacto desenho de uma lefty, e um peso bastante contido.  No final do ano passado, trouxeram à luz do dia, o que para mim é dos quadros mais bonitos de sempre, com um sistema de amortecimento muito peculiar e eficiente. Trata-se de um Klein Palomino, que utiliza um sistema de amortecimento frequentemente visto nas Maverick, mas também utilizado pela Seven. A história da Klein, é, perdoem-me, uma história como a dos grandes ícones: sucesso, rasgo e decadência. A última, muito por culpa de uma grande multinacional. Já tinhas falado de empresas castradoras?

À parte disso, a história de alegria que trago, foi a da prenda de uma esposa de um sortudo, que tinha este quadro encostado na sua garagem pois não se conseguia livrar dele, e que resolveu pedir a uns bacanos para lhe fazerem uns pequenos ajustes,  e oferecer uma bicicleta perfeitamente actualizada, e bonita de caralho. Perdoem-me a asneiras, mas sou nortenho, e não faço questão de me conter, pelo que sempre que se justificar é provável que me saia. I write as I talk, como diz o cozinheiro com mais pinta do universo.

Klein BCB. Créditos: Black Cat Bone

O que estes senhores foi incrível. Pegaram num quadro com mais de dez anos, fresaram os apoios de v-brake e aplicaram os apoios para travões de disco, refizeram a testa de direcção de forma a conseguir receber a suspensão, aplicaram um mono-link actualizado pela Maverick, e trocaram os pivots de um sistema de casquilhos para um sistema de rolamentos. Uma alteração de resto, bastante usual nos utilizadores deste quadro, nos últimos anos. Actualizaram também a suspensão, com a nova cartridge, e trocaram o avanço usual desta suspensões, e soldaram um ultra-leve Kore. Os componentes usados, são um registo de bom gosto e conhecimento. Cubos Chris King, aros tubulares FRM, pneus TUFO, travões Hope Mini Pro, uma tranmissão datada 2×9 (sarcasmo sim, leu bem) com um espectacular conjunto pedaleiro, composto por uns braços Stork agarrado a um eixo em titânio White Industries. A finalizar, uma pintura extravagante bem ao estilo Klein, que eu acho por demais bonita. Uma das minhas bicicletas preferidas de sempre, e um exemplo do que permite à minha namorada indagar a possibilidade de eu estar a ver um unicórnio algures ao lado da bicicleta. Ela própria já procurou um em algumas fotografias, mas não encontrou pelo que concluiu que era mesmo parvoíce minha.

Mais uma vez, aconselha-se uma visita a um dos meus blogs preferidos, recheado de sensualidade e originalidade.

Como sempre, e é válido para todos as publicações futuras, perdoem-me algumas imprecisões, mas isto é de todo escrito com amor, mas com pouco tempo disponível. Não me estou a queixar ainda assim, é de todo um prazer.   :D

Klein BCB. Créditos: Black Cat BoneKlein BCB. Créditos: Black Cat Bone

 

Klein BCB. Créditos: Black Cat Bone
Klein BCB. Créditos: Black Cat Bone
Anúncios

O ciclista incrível preza a palavra alheia

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s